Home / Lifestyle  / O que é libido?

O que é libido?

Ah, a libido… tão importante e tão mal compreendida. Libido é MUITO importante para o sexo e precisamos conversar sobre ela. Mas antes de você continuar lendo o artigo, precisamos fazer um acordo. Você não pode

Ah, a libido… tão importante e tão mal compreendida. Libido é MUITO importante para o sexo e precisamos conversar sobre ela.


Mas antes de você continuar lendo o artigo, precisamos fazer um acordo. Você não pode ficar com questionamentos como “o que é uma libido normal”. Não existe uma medida de libido ideal, não procure por isso. O importante é você estar satisfeita com sua libido.


Bom, vamos lá.


Libido é desejo. É tesão. É aquele sentimento de impulso ou motivação para se envolver no ato sexual, é o friozinho na barriga, aquele pensamento malicioso que faz você sorrir pelo cantinho da boca. Aliás, libido não está relacionada apenas ao sexo. Ela é uma energia relacionada ao prazer e satisfação em tudo aquilo que você gosta, como estar entre seus amigos, ir a uma festa, trabalhar, praticar esportes, viajar, etc. 


Não confunda com excitação

São coisas bem diferentes. Libido é aspecto psicológico que vem antes da excitação. Ela pode ser percebida quando você se envolve em uma cena quente em um filme, por exemplo. A excitação é a manifestação física, como a lubrificação para as mulheres e a ereção para os homens. A confusão surge porque a libido e a excitação sexual frequentemente aumentam e diminuem juntas.


Mas a excitação e a libido nem sempre estão conectadas. Você pode experimentar altos níveis de libido sem os sinais físicos de excitação. Ou você pode experimentar sinais físicos de excitação, mesmo se você não estiver realmente com disposição mental para o sexo. Isso é conhecido como não concordância de excitação e não há nada de errado. É apenas algo que pode acontecer com o corpo de vez em quando. Assim como tantas outras coisas quando se trata de sexo, essa não é uma regra.


Os tipos de libido

O tipo mais comum de libido é conhecido como desejo responsivo. Ele não surge até que alguém comece a se envolver na atividade sexual. É quando você está teoricamente aberta para fazer sexo com seu(sua) parceiro(a), mas não sentiu realmente o desejo até ele(ela) começar a fazer carinho nas suas costas, por exemplo.


Isso é oposto ao desejo espontâneo, quando você quer muito sexo do nada, como se olhasse para seu(sua) parceiro(a) e percebesse o quanto ele(ela) está sexy naquele dia, ou quando ele(ela) usa aquele perfume que você adora. 


Ambas as formas de desejo são perfeitamente naturais. Entretanto, o desejo espontâneo é frequentemente retratado como o tipo ideal (pense nas novelas, nos filmes românticos…). Então, se você perceber que tem o perfil responsivo, saiba que está tudo bem. Não há nada de errado.


Além de mais, sua libido pode ser comparada a uma montanha russa. Ela varia, sobe e desce… É como a disposição e o apetite, está em fluxo constante, pois está relacionada à diversas variáveis como o seu humor, seu cérebro, seu corpo, seus relacionamentos e os ambientes nos quais você convive. 


Libido alta X libido baixa

Alta ou baixa, não existe um nível de normalidade (já falamos sobre isso). O que existe é um nível de desejo que satisfaça você, ou uma grande oscilação que cause estranhamento. Entretanto, a medicina já identificou que existem dois comportamentos relacionados à ausência total de libido e desejo “em excesso”. 


Um período de baixa libido pode estar relacionado a diversos fatores, como a oscilação hormonal do ciclo menstrual. Durante a TPM, por exemplo, é muito normal o desejo sumir. O período pós-parto e a menopausa também são fases nas quais observamos a diminuição do apetite sexual. Há muito interesse médico em torno do que veio a ser conhecido como transtorno do desejo sexual hipoativo, que se caracteriza por uma libido cronicamente baixa ou ausente por pelo menos seis meses. O desejo sexual simplesmente desaparece, mas todas as demais áreas da vida ficam equilibradas.


Depois, sabe-se de problemas que podem causar um impulso sexual que parece alto demais, como transtorno de comportamento sexual compulsivo, que só se tornou uma condição reconhecida no campo da saúde mental em 2018. É caracterizado por uma incapacidade de controlar fortemente impulsos sexuais repetitivos, apesar das consequências negativas, como um impacto em seu relacionamento ou trabalho.


Posso aumentar a libido?

Em primeiro lugar, aumentar a libido depende de entender porquê ela estava baixa. Talvez, você e seu(sua) parceiro(a) tenha caído em uma rotina e vocês podem juntos atuar para aumentar a proximidade. O desejo está fortemente relacionado à satisfação no relacionamento. Se o seu desejo espontâneo estiver baixo, você pode tentar alimentar o seu desejo responsivo, como um momento de intimidade que não envolva sexo, mas que pode levar a isso. O que não deve acontecer é sentir que precisa fazer sexo para cumprir um dever para com outra pessoa. Se você mesma não se sentir satisfeita e feliz, não funciona. 


Caso seu desejo esteja lhe causando angústia, é importante procurar ajuda profissional, dada a complexidade da libido. Isso não é algo que você pode diagnosticar sozinha. Se você acha que algo físico pode estar acontecendo ou não sabe por onde começar, converse com seu médico, terapeuta, ou fisioterapeuta pélvica. Eles têm o conhecimento especializado para ajudá-la a explorar questões como discrepância de desejo sexual ou falta de comunicação.


Não importa o caso, lembre-se de que é normal querer ter um sexo ótimo e satisfatório, e há pessoas por aí que podem ajudar caso você esteja tendo problemas para consegui-lo.






@sow.gn é uma curadoria da Mari Weckerle, a @gurianatureba.

Você já nos segue no Instagram? Confere os outros posts, você vai amar!

Clica aqui para conferir outros posts sobre sexualidade.

[email protected]

A Ana é a a Vagi Sem Neura. Ela é fisioterapeuta pélvica especializada em reabilitação de disfunções sexuais femininas. Sua missão é disseminar conteúdo sem censura. Seu propósito é fomentar a educação e o empoderamento feminino por meio do conhecimento do próprio corpo. | @vaginasemneura

Visão geral da revisão
SEM COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta