Home / Lifestyle  / O consumo de legumes crus à noite e a digestão

O consumo de legumes crus à noite e a digestão

O consumo de legumes crus no período da noite dificulta a digestão? Esse é um assunto super recorrente e que foi abordado pela nutri Giovana Baldissera no post de hoje! Esclareça as suas dúvidas no textinho abaixo,

O consumo de legumes crus no período da noite dificulta a digestão?
Esse é um assunto super recorrente e que foi abordado pela nutri Giovana Baldissera no post de hoje!
Esclareça as suas dúvidas no textinho abaixo, escrito por ela 🙂

Quando escuto a pergunta: “nutri, posso consumir vegetais crus à noite?”, a resposta é (assim como para 99% dos casos, quando falamos de nutrição): “depende!”.Via de regra, vegetais são sempre bem-vindos porque a) são alimentos da natureza, não processados e, portanto, reconhecidos pelo nosso corpo; b) são fontes de vitaminas e minerais, importantes para nossa saúde; c) são fontes de fibras, as quais contribuem para nossa saciedade e para a saúde da microbiota intestinal. Além disso, alguns vegetais contêm substâncias com propriedades calmantes e indutoras do sono, como a lactucina, presente nos talos da alface.
Logo, vegetais crus não trariam malefícios quando consumidos à noite, exceto pelo fato de que, à noite, nosso sistema digestivo está preparando-se para descansar, e não para trabalhar.
A questão não está tanto no tipo do alimento (claro que sempre será melhor quanto mais natural esse for), mas sim no momento de consumo.
É daí que vem o princípio do Ayurveda que defende que vegetais crus deveriam ser evitados à noite, justamente para facilitarmos uma digestão que já está mais lenta nesse momento. Porém, mais importante que isso, é limitarmos o horário das nossas refeições mais próximo possível do momento do pôr do sol. Nosso ciclo circadiano (famoso relógio biológico) é guiado pela luz solar, logo, invariavelmente, fomos criados para nos alimentarmos enquanto é dia, e descasarmos enquanto é noite.
De qualquer forma, considerando o estilo de vida ocidental, caso não seja possível alimentar-se dentro do período mais adequado, vegetais são preferíveis, na última refeição do dia, a alimentos ricos em gorduras, proteínas e/ou carboidratos de alto índice glicêmico, os quais apresentam chances muito maiores de trazer prejuízos à qualidade do sono em razão da maior sobrecarga ao sistema digestivo em comparação aos vegetais, sejam eles cozidos ou crus.

[email protected]

Mari Weckerle é arquiteta, gaúcha e especialista em gastronomia saudável! É a Criadora da Plataforma Digital Guria Natureba e curadora da SOW!

Visão geral da revisão
SEM COMENTÁRIOS

Poste um comentário

dois × 5 =