Home / Lifestyle  / Como escolher o lubrificante íntimo?

Como escolher o lubrificante íntimo?

Vamos falar sobre lubrificante íntimo fazendo, de antemão, um trato? Lubrificantes são ótimos, deixam o sexo mais prazeroso e você deveria usar sempre. Eu sei que existem mulheres que sentem vergonha em utilizar, pois passa

Vamos falar sobre lubrificante íntimo fazendo, de antemão, um trato? Lubrificantes são ótimos, deixam o sexo mais prazeroso e você deveria usar sempre. Eu sei que existem mulheres que sentem vergonha em utilizar, pois passa a sensação de não estarem excitadas o suficiente. Mas eu te garanto que isso é pura neura. 


O lubrificante íntimo pode ser utilizado em todas as práticas sexuais – à dois, sozinha, com uso de vibros ou não. O papel dele é aumentar a sensibilidade do toque e proporcionar, assim, mais prazer. Sim, mulheres que ressecam durante o sexo, ou que não lubrificam durante a excitação, precisam de produtos que auxiliem na secura vaginal para que não haja desconforto e não cause lesões. Entretanto, inclusive aquelas que produzem fluidos em abundância se beneficiam dos lubrificantes. 


Tipos de lubrificantes

Se você não tem hábito de usar lubrificantes, vou te apresentar os tipos que existem no mercado para que você faça sua escolha. Se você já faz uso, quem sabe pode diversificar e fazer novas descobertas. 


À base d’água

É o mais recomendado e também é o tipo ao qual a grande maioria se adapta melhor. É hipoalergênico, é compatível com látex (material da camisinha), é fácil de limpar e não mancha. Então, se você tem pele sensível, ou não sabe por onde começar, os produtos à base d’água são a melhor escolha. 


(Nessa linha eu destaco a K-Y. Confesso que é o meu favorito e é o mais tradicional do mercado. Funciona muito bem, dura bastante e tem versões para diversificar, como o Hot, que esquenta com o contato com a pele. Aliás, K-Y significa Know Yourself, sabia? Tudo a ver conosco!)


À base de silicone

Proporcionam um excelente toque, não são absorvidos pela pele, o que faz com que tenha maior durabilidade, e também é inofensivo ao látex. Entretanto, quem tem pele sensível precisa fazer teste de toque antes, inclusive os homens. Basta aplicar em uma região sensível como a pele do antebraço e aguardar. Se ocorrer qualquer reação, opte pelos produtos a base d’água. 


À base de óleo

Há quem prefira a textura dos óleos e esse tipo eu recomendo que seja utilizado apenas para sexo sem penetração. Isso porque os produtos à base de óleo podem causar danos ao látex e podem levar ao rompimento da camisinha. Faça uso de óleos em massagens ou durante a masturbação, apenas. A vaselina está incluída nessa categoria. 


Lubrificantes com anestésicos

Não use. Simples assim. Esses produtos causam uma sensação de conforto momentânea e podem camuflar eventuais lesões que poderiam ser facilmente evitadas. 


Lubrificantes comestíveis

São uma excelente escolha para o sexo oral. O mesmo teste para peles sensíveis dos produtos à base de óleo deve ser feito para os comestíveis, pois possuem aromatizantes e corantes artificiais. E no momento da penetração, opte pelos produtos à base d’água. 


É muito importante salientar que você deve usar sempre produtos específicos para a área íntima. Não utilize aquele creme cujo aroma você gosta, ou um óleo específico para massagens, por exemplo. A pele e a mucosa vaginal são muito sensíveis e você pode adquirir uma alergia sem a menor necessidade. 


Agora que você conhece os tipos de lubrificantes, é hora de testar tudo que você puder e descobrir quais são os melhores para você. 




@sow.gn é uma curadoria da Mari Weckerle, a @gurianatureba.

Você já nos segue no Instagram? Confere os outros posts, você vai amar!

Clica aqui para conferir outros posts sobre sexualidade.

[email protected]

A Ana é a a Vagi Sem Neura. Ela é fisioterapeuta pélvica especializada em reabilitação de disfunções sexuais femininas. Sua missão é disseminar conteúdo sem censura. Seu propósito é fomentar a educação e o empoderamento feminino por meio do conhecimento do próprio corpo. | @vaginasemneura

Visão geral da revisão
SEM COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta