Home / Lifestyle  / A relação da musculatura íntima com o desempenho sexual

A relação da musculatura íntima com o desempenho sexual

O desempenho sexual tem relação direta, sim, com o condicionamento da musculatura íntima. É exatamente isso que você leu. Mulheres que praticam exercícios íntimos possuem melhor qualidade de excitação. Ou seja, o clitóris está mais

O desempenho sexual tem relação direta, sim, com o condicionamento da musculatura íntima. É exatamente isso que você leu. Mulheres que praticam exercícios íntimos possuem melhor qualidade de excitação. Ou seja, o clitóris está mais sensível, a lubrificação aumenta em quantidade e se mantém constante até o final da relação, a sensibilidade do canal vaginal é mais prazerosa, os flatos vaginais simplesmente somem, e os orgasmos ficam mais intensos. Óbvio, que isso se reflete na relação a dois. Mulheres que praticam com bastante frequência conseguem, inclusive, massagear o pênis do parceiro proporcionando mais prazer a ele também.


Entretanto, sete em cada dez mulheres não sabem exercitar a musculatura íntima corretamente, de uma forma eficiente. O assoalho pélvico precisa fazer duas movimentações ao mesmo tempo: contração e elevação. Isso significa que é uma sensação igual ao ato de impedir que o xixi saia, devemos sentir que as paredes laterais fecham e todo assoalho pélvico se eleva em conjunto. 

Nos exercícios íntimos, a musculatura deve fazer um movimento de contração e elevação.


Se, por acaso, você perceber que também não consegue realizar o movimento de contrair e elevar, saiba que é absolutamente normal. Essa técnica não é fácil e requer treino. Por isso, quando passo o treino para iniciantes pelo meu Instagram, instruo apenas o comando de contrair e relaxar, pois é como tudo começa, é o primeiro passo. Quando não temos consciência da musculatura, a percepção do movimento completo realmente é difícil. Mais de 50% das mulheres não sabem ativar a musculatura com toda a potência possível. Não estou contando isso a você para desestimular, pelo contrário, quero que você saia desse grupo. 


Para compreender se sua musculatura tem um mínimo de desenvoltura, uma das formas é  tentar contrair a pepeka durante o sexo. Você sente algo? E parceiro, sente? Se ambos não sentirem, sabemos que a vagina não está na sua melhor forma. Se não quiser fazer o teste com alguém, basta colocar metade do dedo no interior do canal vaginal e contrair as paredes. Você sentirá o quanto elas se movimentam e terá uma ideia da situação. 


Os benefícios do exercício íntimo 

Exercícios para a musculatura íntima interferem não só no prazer da mulher, mas também no do homem. Homens que praticam as técnicas de contrair e relaxar tem ereções mais firmes e controle ejaculatório. (Um casal que faz pompoarismo não quer guerra com ninguém, hahaha.) 


Em cerca de 40 dias de prática você já perceberá os resultados (sim, apenas dias, não semanas, ou anos). Esse é o tempo que a musculatura precisa para começar a se transformar realmente. Mas boa parte das mulheres começam a sentir mais lubrificação e mais sensibilidade no clitóris já na primeira semana. Tudo vai depender da sua disciplina, dedicação, e o nível de desenvoltura inicial. Quanto mais você se dedicar, melhor. São apenas dez minutos diários e pronto! 


Como sugestão para complementar a leitura, deixo um vídeo que explica detalhadamente como o pompoarismo pode interferir na sua excitação, e também ensina a fazer um exercício para iniciantes. Para assistir, clique aqui. 




@sow.gn é uma curadoria da Mari Weckerle, a @gurianatureba.

Você já nos segue no Instagram? Confere os outros posts, você vai amar!

Clica aqui para conferir outros posts sobre sexualidade.

[email protected]

A Ana é a a Vagi Sem Neura. Ela é fisioterapeuta pélvica especializada em reabilitação de disfunções sexuais femininas. Sua missão é disseminar conteúdo sem censura. Seu propósito é fomentar a educação e o empoderamento feminino por meio do conhecimento do próprio corpo. | @vaginasemneura

Visão geral da revisão
SEM COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta