Home / Pelo Mundo  / 10 destinos no Brasil para quem ama natureza

10 destinos no Brasil para quem ama natureza

As pesquisas apontam que as pessoas vão buscar cada vez mais destinos para se conectar à natureza, principalmente dentro do Brasil, para suas próximas viagens. O Brasil é recheado de maravilhas, com inúmeros parques nacionais,

As pesquisas apontam que as pessoas vão buscar cada vez mais destinos para se conectar à natureza, principalmente dentro do Brasil, para suas próximas viagens. O Brasil é recheado de maravilhas, com inúmeros parques nacionais, praias, canyons, cachoeiras e mais.  Para os fãs do ecoturismo e do turismo de aventura ou para aqueles que simplesmente buscam um destino espetacular para dias de descanso e intenso contato com a natureza, este post é para você! Veja 10 destinos no Brasil para quem ama natureza abaixo!


Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros

O parque que foi declarado Patrimônio Mundial da Unesco em 2001 fica em Goiás, cercado por rios cristalinos, cachoeiras de 100m e enormes paredões de pedra, rodeados pela vegetação do Cerrado. A região engloba oito municípios do interior de Goiás, mas tem como principais bases a cidade de Alto Paraíso de Goiás, a Vila de São Jorge e Cavalcante. Grande parte das atrações da região está concentrada nas três localidades, entre elas o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros e quedas d’água espetaculares, como a Cachoeira Santa Bárbara. Para quem quer visitar as principais atrações, é preciso caminhar por trilhas que chegam a 5 km de distância. Caso não goste de fazer as trilhas sozinho, existem guias disponíveis para ajudar.


O melhor período para visitar a região é no final das chuvas e início da seca, especialmente entre os meses de abril e julho. Nesse período, a paisagem ainda está verde, as cachoeiras estão com água e o pôr do sol é sempre espetacular. No auge das chuvas, entre novembro e março, as cachoeiras estão com visual incrível, mas algumas trilhas podem ser fechadas devido ao risco de tromba d’água. Já na época da seca, entre agosto e setembro, há maior risco de incêndio e algumas cachoeiras estão quase sem água.


Saiba mais em https://www.icmbio.gov.br/parnachapadadosveadeiros/guia-do-visitante.html


Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses

Os Lençóis Maranhenses estão localizados no noroeste do Maranhão e a 250 km da capital São Luís, atraindo turistas de todo o mundo em busca do fenômeno único das lagoas interdunares à beira-mar. O parque  abrange 155 mil hectares de dunas, rios, lagoas e manguezais. Barreirinhas é a cidade mais estruturada no entorno da área de preservação, mas também há passeios a partir de Atins (leste) e Santo Amaro do Maranhão (oeste).


Porém, antes de visitar, é preciso estar atento ao calendário para ver o fenômeno das lagoas em meio às dunas. A alta temporada dos Lençóis Maranhenses acontece durante e logo após as chuvas, especialmente entre os meses de abril e agosto. No auge da seca, de outubro a dezembro, quase todas as lagoas desaparecem e a paisagem, cheia de porções de água, se transforma em um imenso deserto.


Saiba mais em https://www.icmbio.gov.br/parnalencoismaranhenses/guia-do-visitante.html


Parque Nacional de Aparados da Serra

O nome do Parque é o mesmo nome do Complexo de Canyons “Aparados da Serra” que se estende de Cambará do Sul – RS até parte da Serra Catarinense, Urubici – SC. Mesmo o Parque carregando o nome da cadeia de Canyons, não representa 3% de toda a extensão real dos Aparados da Serra Geral. O Parque está situado ao Sul do Complexo de Canyons entre os estados de SC e RS. São os municípios de Praia Grande – SC e Cambará do Sul – RS que tem parte de suas áreas territoriais dentro do Parque. É lá que encontra-se o famoso  Cânion do Itaimbezinho, o mais lindo da região.


As duas trilhas até ele partem do centro de visitantes e podem ser feitas sem guia. O trajeto mais popular é a trilha do Vértice (45 minutos, ida e volta), feita parcialmente sobre passarelas com vista para as cachoeiras da Andorinha e Véu de Noiva.


Saiba mais em https://www.icmbio.gov.br/parnaaparadosdaserra/guia-do-visitante.html


Parque Nacional da Chapada Diamantina

Um parque nacional  localizado na Bahia, no nordeste do país, oferece algumas das paisagens mais originais e impressionantes do Brasil. Há formações rochosas incomuns, cavernas, lagos e muitas outras atrações para se explorar. A cachoeira mais famosa no parque é a Cachoeira da Fumaça, a maior queda no país, onde a água não tem volume suficiente para superar a queda de 380 metros. Outros destaques incluem as incríveis águas azuis do Poço Encantado e Poço Azul. Outro programa imperdível é assistir ao pôr do sol no alto do Pai Inácio.


Fazer trilhas está entre as atividades mais comuns da Chapada Diamantina. Há trilhas para todos os tipos de turista, com diferentes graus de dificuldade e tempo de percurso. As trilhas da Chapada não são bem identificadas, mas você pode optar por um guia para quase todos os trajetos de trilha. Para chegar na região, o único aeroporto que recebe voos comerciais regulares na Chapada Diamantina é o Aeroporto de Lençóis – LEC, distante 24 km do centro da cidade de Lençóis.


Parque Nacional da Serra do Cipó

O Parque Nacional da Serra do Cipó se localiza a 110 Km de Belo Horizonte, ao sul da cadeia do Espinhaço, envolvendo áreas dos municípios de Jaboticatubas, Santana do Riacho, Morro do Pilar e Itambé do Mato Dentro. Seus mais de 30 mil hectares de extensão dividem duas grandes bacias hidrográficas: a do Rio Doce e a do Rio São Francisco. A topografia acidentada, repleta de nascentes, forma rios, cânions, cachoeiras e cavernas, atrativos muito procurados pelos amantes do ecoturismo. Na década de 50, o paisagista Burle Marx classificou a Serra do Cipó como o Jardim do Brasil. Em 1984, o Parque foi criado para proteger sua biodiversidade, pois conta com uma variedade de flora e fauna onde convivem espécies endêmicas.


A região do Parque caracteriza-se por altitudes significativas, em geral variando entre 900 e 1.600 metros, sendo que alcança na Serra da Mutuca, extremo sudeste do Parque, 1697 metros. Este relevo acidentado dá origem a cachoeiras e lindas corredeiras, como as cachoeiras da Farofa e da Braúna e o cânion dos Confins. O parque é cessível pela estrada MG-010, passando por Vespasiano, Lagoa Santa e Jaboticatubas, até o distrito de Cardeal Mota em Santana do Riacho.


Saiba mais em http://www.minasgerais.com.br/pt/atracoes/santana-do-riacho/parque-nacional-da-serra-do-cipo


Parque Estadual do Jalapão

O Tocantins é um destino perfeito para quem gosta de conhecer paisagens naturais – praticamente intocadas  – e quer se surpreender com a beleza e diversidade do Brasil. É lá que está um dos tesouros mais incríveis do país, como o Parque Estadual do Jalapão. A região é um conjunto de cinco áreas de conservação, incluindo um parque estadual, e tem 34 mil km² (maior que os estados de Sergipe e Alagoas). O parque conta com águas cristalinas, piscinas naturais verde-esmeralda, chapadões, dunas e um clima único de Savana.


O acesso ao parque não é muito fácil,  já que a maioria das estradas não tem asfalto, o que dá a sensação de estar no meio de um rali (vir com veículo 4×4 é muito recomendável). Por causa disso, muitas pessoas optam por empresas de expedições, saindo de Palmas e incluindo transporte, refeições, pernoites num camping e passeios.


Saiba mais em https://turismo.to.gov.br/regioes-turisticas/encantos-do-jalapao/


Parque Nacional do Iguaçu

As Cataratas do Iguaçu são um conjunto de cachoeiras imensas que se formam pelo estreitamento do Rio Iguaçu, na fronteira do Brasil com a Argentina. O nome “Iguaçu” deriva da língua guarani e quer dizer “água boa, maravilhosa”. A região é considerada Patrimônio Natural da Humanidade e uma das Novas Sete Maravilhas da Natureza e é o maior conjunto de quedas de água, em extensão, do mundo. São 275 saltos dos mais variados tamanhos, sendo o maior deles com 80 metros de altura, chamado Garganta do Diabo. Em média são 1.500m3 de água por segundo de vazão. Além das quedas de água,  ao redor existe uma enorme área verde com uma rica fauna e flora, pois as cataratas estão localizadas dentro de uma das últimas reservas de Mata Atlântica, o Parque Nacional do Iguaçu com seus 185 mil hectares do lado brasileiro e mais 65 mil hectares do lado argentino.


Saiba mais em https://cataratasdoiguacu.com.br e https://www.icmbio.gov.br/parnaiguacu/


Parque Estadual da Pedra Azul

Localizado no município de Domingos Martins e na chamada Rota do Lagarto, esse é um dos pontos turísticos mais famosos do Espírito Santo. O Parque Estadual da Pedra Azul permite contemplar mais de perto da Pedra Azul, a Pedra do Lagarto e a natureza exuberante da região das Montanhas Capixabas, uma das regiões turísticas mais visitadas do Estado que inclui também destinos como Santa Teresa, Santa Leopoldina e Venda Nova do Imigrante. O nome da formação rochosa Pedra Azul, de quase dois mil metros de altura, se deve à coloração, que varia ao longo do dia, de acordo com a incidência da luz solar. O parque conta com uma fauna e flora riquíssima, com diversas espécies, animais ameaçados de extinção e uma vegetação diversa. É possível fazer trilhas que permitem a contemplação de áreas de Mata Atlântica, passando por mirantes e piscinas naturais.


As visitas à área são feitas somente com o acompanhamento de guias e é preciso agendar com antecedência. O parque fica a 50 quilômetros do Centro de Domingos Martins. Fique atento ao trecho final de acesso ao parque, conhecido como Rota do Lagarto, uma pequena estrada com lindas paisagens.


Saiba mais em http://www.pedraazul.com.br/website/Site/PontosTuristicos.aspx?id=24


Bonito

Localizado na região sudoeste de Mato Grosso do Sul, a 300 quilômetros de Campo Grande, Bonito é uma grande diversão para o ecoturismo brasileiro e o melhor destino para mergulho fluvial do Brasil. Rios de águas transparentes, cachoeiras, grutas e cavernas. Fauna e flora exuberantes, com centenas de espécies de aves, mamíferos e répteis ocupando uma vegetação que mistura o Cerrado com a Mata Atlântica. Na nascente cristalina do Rio Baía Bonita, que forma o Aquário Natural, ou no Rio Sucuri, de leve correnteza, você nada lado a lado com diversas espécies de peixes coloridos. São inúmeras atrações, atividades, paisagens para admirar e trilhas para caminhar.


Ir até Bonito é  fácil – a Azul voa pela rota Campinas-Bonito-Corumbá, com escala em Corumbá na ida ou na volta, dependendo do dia da semana. Do aeroporto até o centro da cidade, são 15 km e é possível fazer o trajeto de táxi, transfer ou carro alugado. Mas também é possível ir até Campo Grande, que tem mais opções de voo e pode ser mais barato.


Parque Nacional de Jericoacoara

O pequeno vilarejo de Jericoacoara, com suas estreitas ruas de areia e seus alegres visitantes praieiros, está aos pés de uma unidade de conservação, o Parque Nacional de Jericoacoara. O Parque Nacional (Parna) de Jericoacoara foi criado em fevereiro de 2002, com área de 8.416 hectares, a partir da recategorização parcial da Área de Proteção Ambiental criada em 1984, e da redefinição de seus limites em junho de 2007. O Parque possui diversos atrativos, que incluem desde a prática de esportes radicais em belas praias e lagoas até a contemplação de monumentos naturais como a Pedra Furada, cartão-postal máximo da região, e da Duna do Pôr do Sol, melhor lugar para contemplar o fim do dia na praia.


A partir da Vila de Jericoacoara, os turistas têm a oportunidade de realizar diversos passeios para visitar atrativos como o Serrote, a Pedra Furada e a Árvore da Preguiça, além de passeios de canoa pelos belos manguezais do Rio Guriú, para avistamento dos cavalos-marinhos (Hippocampus Reidi).


Saiba mais em https://www.icmbio.gov.br/portal/visitacao1/unidades-abertas-a-visitacao/190-parque-nacional-de-jericoacoara.html




@sow.gn é uma curadoria da Mari Weckerle, a @gurianatureba.

Você já nos segue no Instagram? Confere os outros posts, você vai amar!

Clica aqui para conferir outros posts sobre viagens.

[email protected]

Fundadora do Spice up the Road, canal com foco na troca de experiências sobre viagem e gastronomia. Com expertise em comunicação e marketing, Fernanda é apaixonada por viajar, por explorar o mundo e viver coisas novas. | @spiceuptheroad

Visão geral da revisão
SEM COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta