Home / CULTURA  / Como escolher um bom Azeite de Oliva?

Como escolher um bom Azeite de Oliva?

Quer aprender a escolher um bom azeite de oliva? Confere, abaixo, 5 dicas imperdíveis! 1- Dê sempre preferência para o extra virgem O azeite de oliva extra virgem é o azeite de qualidade mais alta obtido das

Quer aprender a escolher um bom azeite de oliva? Confere, abaixo, 5 dicas imperdíveis!

1- Dê sempre preferência para o extra virgem

O azeite de oliva extra virgem é o azeite de qualidade mais alta obtido das azeitonas. Suco de frutas, fresco, rico em antioxidantes e com maior número de benefícios para a saúde. 


2-  Vidro escuro 

A coloração do vidro ajuda na conservação correta do azeite. 


3- Preste atenção na data de Fabricação

Ao contrário do vinho, o azeite não melhora com o tempo. Quanto mais fresco melhor, terá mais sabor e maiores benefícios para saúde. O prazo de validade geralmente são 24 meses.


4- Produção e envase em lugares diferentes. 

Se o rótulo do azeite indicar que ele foi produzido e embalado em países diferentes, desconfie. Isso significa que ele foi transportado em condições não ideais por longas distâncias e tempo.


5-  Dê preferência aos do fundo da prateleira 

Azeites no fundo da prateleira vão estar mais bem conservados, longe da luz e do calor. 


O que significa a Acidez dos Azeites de Oliva?


Em primeiro lugar, deve ser esclarecido que a acidez de um azeite extra virgem não tem relação com o sabor do azeite. A acidez é um dos indicadores de qualidade de um bom azeite, mas não é o principal. Ela mede a quantidade de ácidos graxos livres. 


Quanto MENOR a acidez, melhor, pois uma baixa acidez indica que o azeite foi feito com azeitonas sãs e frescas.


Esse parâmetro químico, demonstra que as etapas do processo de produção do azeite, desde a colheita até o seu envase, foi realizado de forma adequada. 


Quais são os tipos de azeites de oliva?


Como conservar o azeite?


Se não preservado de forma adequada, o azeite de oliva perde suas qualidade organolépticas (sabor e aroma). Oa zeite de oliva tem três inimigos, a luz, o ar e altas temperaturas. 


Proteja o azeite da luz: A luz é um dos fatores que mais interfere no processo de oxidação de um azeite extra virgem. Por isso é aconselhável guardar o azeite em um local escuro. 


Guarde em um local fresco: É importante manter o azeite longe de qualquer fonte de calor. Evitar deixar exposto a luz solar ou ao lado do fogão.


Mantenha a garrafa sempre fechada: Embora o azeite de oliva extra virgem contenha inúmero componentes antioxidantes, se ficar em contato com o oxigênio começa o processo de oxidação e deterioração. 


Os óleos tornam-se rançosos ao entrar em contato com o ar. Os melhores azeites são produzidos com frutas prensadas logo após a colheita e armazenadas em tanques herméticos, geralmente sob nitrogênio, o que ajuda a impedir a entrada de oxigênio.


O azeite de oliva é mais saudável que os outros tipos de óleo?


O azeite de oliva é uma gordura benéfica para o nosso organismo. Nada mais é do que um suco de frutas repleto de vitaminas e propriedades antioxidantes que reduzem as chances de causar doenças cardiovasculares e inúmeros outros benefícios para saúde.


O azeite de oliva é composto, predominantemente, por gorduras monoinsaturadas (cerca de 55% a 85%), com quantidades menores de gorduras saturadas e poli-insaturadas.


Óleos vegetais como os de soja, milho ou girassol têm proporção semelhante de gorduras saturadas, mas quantidade muito maior de gorduras poli-insaturadas (o ponto negativo desse tipo de gordura é que reduz tanto o colesterol ruim (LDL) quanto o bom (HDL).


No entanto, é necessário alertar que tudo em excesso faz mal.E isso aplica-se também neste caso. O consumo de gorduras monoinsaturadas devem ser parte de uma rotina com hábitos saudáveis.


O que acontece quando aquecemos o azeite de oliva? 


Existe um equívoco popular de que o azeite extra virgem não pode ser aquecido às temperaturas necessárias para fritar. Esta crença pressupõe, por engano, que o azeite extra virgem tem baixo ponto de fumaça (o ponto de fumaça de um óleo de cozinha é a temperatura na qual o óleo começa a se decompor).


Um azeite virgem extra de alta qualidade tem um ponto de fumaça mais alto do que outros óleos, tornando-o muito adequado para muitas formas de cozinhar, como fritar. O azeite de oliva é o mais estável e sua composição não é alterada significativamente, devido ao meio como é obtido (por processos mecânicos sem nenhum tratamento além da lavagem, filtração, decantação ou centrifugação). Azeites extra virgens são produzidos sem calor ou produtos químicos e, portanto, retêm mais antioxidantes.  


Dessa forma, os componentes minoritários provenientes do fruto da oliveira, entre eles os compostos fenólicos, permanecem no produto final, ao contrário de outros óleos vegetais, que foram submetidos aos processos de refino, adquirindo uma instabilidade no perfil de gorduras que quando aquecidos, se modificam.


O azeite não só pode, como deve ser usado nas saladas, aperitivos e também nas preparações cozidas e fritas, oferecendo vários benefícios a nossa saúde.


Quanto mais verde, melhor o azeite?


A cor não é indicador da qualidade de um bom azeite (embora você deva se preocupar se não é verde ou amarelo). A cor depende sobretudo da variedade da azeitona, do seu grau de maturação e do processo de produção.


São os pigmentos presentes nas azeitonas que determinam a cor do azeite. Quando a azeitona é mais verde contém mais clorofila e feofitina que resultam em azeites mais verdes. 


Com o amadurecimento do fruto, diminui a presença de clorofila e aumentam os carotenos e xantofilas, responsáveis por azeites com tons amarelos.

[email protected]

Temos alma livre e sede de aprendizado. Aqui você vai encontrar muito conteúdo sobre beleza natural, cultura, sustentabilidade e viagens inesquecíveis. Vamos semear boas ideias juntos?

Visão geral da revisão
SEM COMENTÁRIOS

Poste um comentário

2 × três =